a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z #

Vaginose Bacteriana

0.0/5 rating (0 votes)

Também conhecida como vaginite não específica, é a mais comum das vaginites. É causada por uma alteração na flora vaginal normal, com diminuição na concentração de lactobacilos e predomínio de uma espécie de bactérias sobre outras, principalmente a Gardnerella vaginalis. Por ter uma causa orgânica, não é considerada uma IST.

Nas mulheres, ela é causada pelo aumento da quantidade da bactéria Gardnerella vaginalis na vagina nem sempre apresenta sintomas, e seu tratamento é feito com o uso de antibióticos.

Os sinais e sintomas da vaginose bacteriana são:

  • Corrimento vaginal, geralmente de cor amarela, branca ou cinza, que se apresenta com um “odor forte e desagradável, tipo cheiro de peixe, que aparece, principalmente, após uma relação sexual e durante o período de menstruação;
  • Ardência ao urinar e/ou coceira no exterior da vagina, sem dispareunia (dor genital ou pélvica durante o contato íntimo),

Algumas mulheres podem não apresentar sintomas.

O diagnóstico da vaginose bacteriana ocorre primeiramente por critérios clínicos e testes ambulatoriais. Pode ser feito por meio do exame preventivo, também chamado de papanicolau, num exame de rotina, ou quando este é solicitado pelo ginecologista após o a paciente relatar a sintomatologia da doença.

O tratamento é feito por meio de antibióticos de uso tópico ou oral. É fundamental que seja feito o tratamento completo, mesmo que os sintomas desapareçam antes do fim. Não é necessário tratar os parceiros sexuais assintomáticos.

Na maioria dos casos, a vaginose bacteriana não causa grandes complicações, porém, existem algumas implicações sérias:

  • Parto prematuro ou recém-nascido com peso abaixo da média;
  • As bactérias que causam a vaginose bacteriana podem infectar o útero e as trompas de falópio. Esta inflamação é conhecida como doença inflamatória pélvica (DIP);
  • A vaginose bacteriana pode aumentar a probabilidade de infecção por IST, HIV/Aids, em casos de exposição ao vírus;
  • Pode aumentar a probabilidade de uma mulher ser infectada por outras doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia e gonorreia.

 

Topo