Saúde divulga novo balanço da ampliação da vacinação contra a febre amarela em Santa Catarina

A vacinação contra a febre amarela ainda está bem abaixo do esperado em Santa Catarina. Desde o segundo semestre de 2018, seguindo recomendação do Ministério da Saúde (MS), todo o estado se tornou Área com Recomendação de Vacinação (ACRV), antes 162 municípios catarinenses já integravam a ACRV. No entanto, de setembro de 2018, quando foi iniciada a ampliação da vacinação no estado, até o dia 15 de janeiro de 2019, apenas 10,6% da população catarinense que deveria se vacinar, procurou os postos de saúde. Nas quatro primeiras etapas de ampliação, 216.905 pessoas de uma população estimada de 2.046.324 tomaram a vacina contra a febre amarela, segundo dados fornecidos pelos municípios.

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde (SUV), explica que a ampliação da vacinação contra a febre amarela em Santa Catarina foi dividida em seis etapas, com início em setembro de 2018 e previsão de término em fevereiro de 2019, para facilitar o acesso da população à vacina e evitar a perda de doses - após abertura do frasco, a utilização da vacina deve ocorrer em até, no máximo, seis horas. Com a ampliação, além das unidades de referência, as doses da vacina contra febre amarela também passam a ser oferecidas nas unidades de saúde dos municípios.

De acordo com a gerente de imunização da DIVE/SC, Lia Quaresma Coimbra, a vacina contra a febre amarela é indicada para todas as pessoas acima de 9 meses de idade. Idosos com mais de 60 anos devem procurar orientação médica. “É importante ressaltar que uma única dose da vacina é suficiente para ficar protegido contra a doença durante toda a vida”, afirma Coimbra.

Para cumprir o cronograma de ampliação, Santa Catarina tem recebido constantemente doses da vacina contra a febre amarela do MS. Só em 2019, foram 500 mil doses. Portanto, não há falta de doses da vacina.

No mês de janeiro, a ampliação ocorre em municípios da Grande Florianópolis e, a partir do mês de fevereiro, última etapa da ampliação, será a vez dos municípios do Litoral Sul e Sul de Santa Catarina.

Casos de febre amarela

Segundo o último boletim da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), em janeiro de 2019 foram notificados 3 casos suspeitos de febre amarela, todos foram descartados. Com relação aos macacos, foram notificadas 13 mortes de primatas, mas nenhuma confirmada por febre amarela até o momento. Destas, 11 ainda estão em investigação.

Ampliação da vacinação para as 133 cidades restantes, segundo dados fornecidos pelos municípios (dados atualizados até 15.01.2019)

1ª etapa – início da ampliação em setembro de 2018


2ª etapa – início da ampliação em outubro de 2018
 


3ª etapa – início da ampliação em novembro de 2018
 


4ª etapa – início da ampliação em dezembro de 2018
 


5ª etapa - início da ampliação em janeiro de 2019
 

-  Águas Mornas, Alfredo Wagner, Anitápolis, Florianópolis, Governador Celso Ramos, Palhoça, Rancho Queimado, Santo Amaro da Imperatriz, São Bonifácio, São José, São Pedro de Alcântara.

6ª etapa - início da ampliação em fevereiro de 2019

- Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Ermo, Jacinto Machado, Maracajá, Meleiro, Morro Grande, Passo de Torres, Praia Grande, Santa Rosa do Sul, São João do Sul, Sombrio, Timbé do Sul, Turvo, Capivari de Baixo, Gravatal, Jaguaruna, Pedras Grandes, Sangão, Treze de Maio, Tubarão, Garopaba, Imaruí, Imbituba, Laguna, Paulo Lopes, Pescaria Brava, Armazém, Braço do Norte, Grão Pará, Rio Fortuna, Santa Rosa de Lima, São Ludgero, São Martinho, Balneário Rincão, Cocal do Sul, Criciúma, Forquilhinha, Içara, Lauro Muller, Morro da Fumaça, Nova Veneza, Orleans, Siderópolis, Treviso, Urussanga.

 
Amanda Mariano 
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
(48) 3664-7406 
(48) 3664-7402 
(48) 3664-7385  

Topo