Santa Catarina registra aumento de 32% no número de focos do mosquito Aedes aegypti

Manual Orientação - Decreto Estadual 1079-2017

Apresentação de dados Sala de situação

 

A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES/SC), em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira, 25, anunciou que 9.273 focos do mosquito Aedes aegypti foram identificados este ano em 141 municípios catarinenses. O número é 32,3% a mais do que o registrado em todo o ano de 2016, quando 7.009 focos haviam sido identificados em 139 municípios. 

Diante do risco de epidemias das doenças transmitidas pelo mosquito – dengue, zika e chikungunya –, durante o verão, estão sendo intensificadas as ações de prevenção e controle do Aedes aegypti em todo o estado, especialmente nos 61 municípios considerados infestados pelo mosquito. “O mosquito Aedes aegypti costuma aumentar sua circulação no verão, em virtude da combinação da temperatura mais quente e chuvas. Para se reproduzir, ele precisa de locais com água parada. Por isso, neste momento que antecede o período mais quente e úmido do ano, deve-se intensificar a eliminação de possíveis criadouros, impedindo o nascimento do mosquito e, como consequência, sua proliferação”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Dr. Vicente Caropreso. 

“Nos últimos anos a Secretaria de Estado da Saúde vem estruturando uma rede de vigilância e prevenção contra o Aedes aegypti, composta por profissionais de saúde, laboratórios, veículos, equipamentos e materiais informativos de forma a prestar apoio aos municípios na execução ações locais. Mesmo assim, é fundamental o envolvimento de todos os setores, como educação, assistência social, defesa civil, saneamento básico e obras, além da população, que tem um papel fundamental”, destacou Eduardo Macário, diretor de Vigilância Epidemiológica da SES/SC. 

Dentre as ações previstas para 2017/2018, estão a realização de reuniões mensais da Sala Estadual de Situação; a capacitação de mais de 220 agentes em controle vetorial e vigilância; a intensificação nas supervisões e assessorias aos municípios e a distribuição do Manual de Orientação sobre o Decreto 1.079 (que cria comissões de articulação e monitoramento das ações de prevenção e eliminação dos focos do mosquito no âmbito dos órgãos e das entidades da administração pública estadual direta e indireta). Outros materiais informativos serão distribuídos à população – sobre prevenção e sintoma das doenças – e um específico para as empresas consideradas Pontos Estratégicos, como borracharias, floriculturas e ferros-velhos, e fluxograma de classificação de risco para aprimorar o manejo clínico da dengue serão entregues aos profissionais de saúde. 

Também estão previstas a realização de reuniões com prefeitos, gestores de saúde e outros órgãos, além de representantes da sociedade civil, nas regiões mais críticas do estado, iniciando em Chapecó, que reunirá representantes de 40 municípios das regiões Oeste e Meio Oeste de SC na próxima semana. Além disso, está prevista a estruturação de uma equipe de Força-Tarefa em Xanxerê, região considerada de alto risco para ocorrência de epidemias, juntamente com Chapecó, São Miguel do Oeste, Itajaí e Grande Florianópolis, devido ao alto número de municípios infestados.

Em atenção à Semana Nacional de Mobilização contra o Aedes aegypti (de 23 a 27 de outubro), o Governo do Estado realizou o evento de premiação do concurso Escola Promotora de Saúde, na última segunda-feira, e participa da ação promovida durante esta semana pela Prefeitura de Florianópolis em frente ao Terminal de Integração do Centro, onde a população tem acesso a um minilaboratório para identificação de larvas de Aedes aegypti e recebe dicas para o combate ao mosquito. Diversas cidades catarinenses também estão realizando atividades alusivas à data.

 

Sala de Situação 

A Sala Estadual para o combate ao Aedes aegypti/SC orienta que todos os municípios infestados mantenham suas salas de situação em funcionamento. No ano de 2017, a Sala Estadual tem participado de videoconferências quinzenais com a Sala Nacional, discutindo os seguintes assuntos: apoio das forças armadas, ações de mobilização da ação social e educação e realização do Levantamento Rápido de Índice (LIRAa) pelos municípios infestados no mês de novembro. 

 

A Sala Estadual de Situação é composta por:

• Secretaria de Estado da Saúde;

• Secretaria de Estado da Defesa Civil;

• Secretaria de Estado da Educação;

• Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável: Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (ARESC) e Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (FATMA);

• Secretaria de Estado do Planejamento;

• Secretaria de Estado da Casa Civil;

• Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania;

• Secretaria de Estado da Segurança Pública: Departamento Estadual de Trânsito, Corpo de Bombeiros Militar e Polícia Militar;

• Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis;

• Federação Catarinense de Municípios (FECAM);

• Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (CASAN);

• Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (ARIS); e

• Exército.

 

Participaram também da coletiva de imprensa representantes da Defesa Civil, Exército, da Secretaria de Estado da Educação, da Diretoria de Vigilância Sanitária e do Conselho das Secretariais Municipais de Saúde (Cosems).

Boletins

  1. Boletim Epidemiológico n° 23/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina
  2. Boletim Epidemiológico n° 22/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 28/10/2017 – SE 43/2017)
  3. Boletim Epidemiológico n° 21/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 14/10/2017 – SE 41/2017)
  4. Boletim Epidemiológico n° 20/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 30/09/2017 – SE 39/2017)
  5. Boletim Epidemiológico n° 19/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 16/09/2017 – SE 37/2017)
  6. Boletim Epidemiológico n°18/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 02/09/2017 – SE 35/2017)
  7. Boletim Epidemiológico n° 17/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 12/08/2017 – SE 32/2017)
  8. Boletim Epidemiológico n° 16/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 29/07/2017 – SE 30/2017)
  9. Boletim Epidemiológico n° 15/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 15/07/2017 – SE 28/2017)
  10. Boletim Epidemiológico n° 14/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 01/07/2017 – SE 26/2017)
  11. Boletim Epidemiológico n° 13/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 17/06/2017 – SE 24/2017)
  12. Boletim Epidemiológico n°12/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 03/06/2017 – SE 22/2017)
  13. Boletim Epidemiológico n° 11/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti, e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 20/05/2017 – SE 20/2017)
  14. Boletim Epidemiológico n° 10/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 06/05/2017 – SE 18/2017)
  15. Boletim Epidemiológico n° 09/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti, e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 22/04/2017 – SE 16/2017)
  16. Boletim Epidemiológico n° 08/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti, e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 08/04/2017 – SE 14/2017)
  17. Boletim Epidemiológico n° 07/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti, e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 25/03/2017 – SE 12/2017)
  18. Boletim Epidemiológico n° 06/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti, e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 11/03/2017 – SE 10/2017)
  19. Boletim Epidemiológico nº 05/2017 Vigilância entomológica do Aedes aegypti, e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 25/02/2017 – SE 08/2017)
  20. Boletim Epidemiológico n° 4/2017 Situação da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 28/1/2017 – SE 4/2017)
  21. Boletim Epidemiológico n° 3/2017 Situação da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 28/1/2017 – SE 4/2017)
  22. Boletim Epidemiológico n° 02/2017 Situação da dengue, febre do chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 14/1/2017 – SE 2/2017)
  23. Boletim Epidemiológico n° 01/2017 Situação da dengue, febre do chikungunya e zika vírus em Santa Catarina (Atualizado em 7/1/2017 – SE 1/2017)

  24. Boletim Epidemiológico 2016 Situação da Dengue, Febre do Chikungunya e Zika Vírus em Santa Catarina (Atualizado em 05/04/2017)
  25. Boletim Epidemiológico 2015 Situação da Dengue, Febre do Chikungunya e Zika Vírus em Santa Catarina (Atualizado em 06/01/2016)

 


 


Topo