Monitoramento revela índice de imunização contra a febre amarela em Santa Catarina

O Monitoramento Rápido de Cobertura (MRC) realizado em todos os 162 municípios que compõem a Área com Recomendação de Vacina em Santa Catarina apontou que 75% da população já estava imunizada contra a febre amarela. O percentual corresponde a 23.171 pessoas, dentre as 30.964 entrevistadas durante a atividade de campo, realizada entre os dias 13 e 24 de março, seguindo metodologia recomendada pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). Para as entrevistas, foram selecionados indivíduos entre 9 meses e 60 anos de idade, elegíveis para vacinação e presentes no domicílio no momento da visita. As 7.793 pessoas que ainda não estavam imunizadas receberam a vacina durante o monitoramento.

“Com o MRC, pudemos observar a real cobertura em diferentes faixas etárias e áreas demográficas, comprovada nas carteiras de vacinação. O resultado nos surpreendeu positivamente, mostrando que muitos indivíduos adultos estavam com sua vacinação em dia”, avalia Vanessa Vieira da Silva, gerente de imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive/SC) da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina. A atividade foi realizada por agentes comunitários de saúde em uma amostra de residências, selecionadas de acordo com a população-alvo e a quantidade de salas de vacinas do município, considerando 50% na área urbana e 50% na área rural. “Esse é um método útil para a definição ou redefinição de ações de vacinação, para melhorar as coberturas vacinais e para a homogeneidade de coberturas”, complementa.

Importante considerar que a indicação de cobertura para a vacina contra a febre amarela no país é de 95% nas ACRV. “Todas as pessoas que moram ou vão viajar para algum desses municípios devem se vacinar contra a febre amarela”, reforça Vanessa.  Saiba quais são os municípios, em Santa Catarina e no Brasil, em www.dive.sc.gov.br/febre-amarela.

 

Febre amarela em Santa Catarina

De janeiro a 25 de abril deste ano, 43 epizootias foram registradas em Santa Catarina, com 46 primatas não humanos (macacos) envolvidos. De acordo com a Gerência de Zoonoses da Dive/SC, houve coleta oportuna de amostras em 22 deles (47,8%). Desses, 11 foram descartados por apresentarem resultado não-reagente e 11 ainda aguardam resultado laboratorial. Santa Catarina não registra casos de febre amarela em humanos desde 1966.

Todos os exames são realizados pelo Instituto Adolfo Lutz/SP, laboratório de referência em febre amarela para Santa Catarina, e os resultados podem levar até 20 dias para serem liberados.

 

Número de indivíduos entrevistados e vacinados em área urbana

por regional de saúde com ACRV, Santa Catarina-2017

 

 

 

Número de indivíduos entrevistados e vacinados em área rural

por regional de saúde com ACRV, Santa Catarina-2017

 

 

 

Número de indivíduos entrevistados e vacinados em área urbana

por faixa etária, Santa Catarina-2017

 

 

 

Número de indivíduos entrevistados e vacinados em área rural

por faixa etária, Santa Catarina-2017

 


Topo