Boletim Epidemiológico nº 10/2020 Covid-19 (SARS-COV-2) - Dados atualizados em: 21/07/2020

Visualizar em PDF      

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) o Brasil ocupa o segundo lugar entre os países com maior número de casos e mortes por COVID-19 totalizando até o dia 21 de julho 2.118.646 casos confirmados e 80.120 mortes em todas as unidades da federação. Com base no conjunto de análises dos dados disponíveis até o momento o Estado de Santa Catarina enfrenta um crescimento acelerado do número de casos, apresentando uma taxa de incidência de 759 casos/100 mil habitantes, taxa de mortalidade de 9,7 casos/100 mil habitantes e letalidade de 1,3%. Diante deste cenário reforça-se a necessidade da continuidade das medidas de prevenção individuais e coletivas, em especial o distanciamento social e a ampliação das testagens.

Até o dia 21 de julho o estado de Santa Catarina registrou 54.414 casos de COVID-19, desde a confirmação do primeiro caso em 25 de fevereiro de 2020. Destaca-se que estes casos registrados incluem também pessoas que são residentes em outros estados e foram diagnosticados e notificados em Santa Catarina. Todos os indicadores têm apresentado aumentos ao longo das semanas, a taxa de incidência passou de 643 casos/100 mil habitantes para 759 casos/100 mil habitantes no intervalo da semana de 14 de julho à 21 de julho de 2020. Os óbitos contabilizados entre os residentes no estado somam 694 casos com uma taxa de mortalidade que subiu de 7,4 casos/100 mil habitantes para 9,7 casos/100 mil habitantes, e a letalidade teve uma elevação de 1,2% para 1,3% em relação a semana anterior. Desde o início da epidemia no Estado, o mês de junho foi o que apresentou maior número de casos da série, representando 49% do total de casos notificados até o momento, seguido pelo mês de julho com 29,42% do total de casos. Em média foram 889 casos novos por dia no mês de junho e 533 casos diariamente no mês de julho.

Os grupos mais acometidos pela infecção da COVID-19 permanece a faixa etária de 30 a 39 anos (26,1%), seguido pelas pessoas com idades entre 20 a 29 anos (21,3%). Nota-se que nestas mesmas faixas etárias o percentual de pessoas que vão a óbito é de 4,5% e 0,9% respectivamente. Ao analisar os grupos que compõem as faixas etárias mais avançadas observa-se que o percentual de infectados é mais baixo, quando comparados as faixas etárias mais jovens, no entanto o percentual de óbitos e a taxa de letalidade são elevados. Por exemplo, na faixa etária entre 80 e 89 anos os infectados representam 1,1% do total de casos de COVID-19, porém o percentual de óbitos é de 20,3%, e uma taxa de letalidade de 23,5%. De forma similar ocorre nas faixas de idade de 70 a 79 anos e em indivíduos com mais de 90 anos. Em relação ao sexo dentre as pessoas infectadas as mulheres apresentam um percentual maior que os homens, representando 52,3% do total de casos registrados.  

 

 

 

 Acesse o boletim completo aqui.


Topo